Clube do Remo desmonta estrutura metálica na área das Mercês

Com futebol profissional inativo desde o final do mês de agosto por conta da eliminação ainda na primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro, o Clube do Remo se volta totalmente para o processo eleitoral que irá definir o sucessor de Fábio Bentes na presidência azulina. E quem for assumir o Leão entre os anos de 2024 a 2026, já sabe que precisará reformular o setor de arquibancadas na área das Mercês, do Estádio Baenão.CONTEÚDO RELACIONADO:Clube do Remo: situação quer dar continuidade ao trabalhoGinásio do Clube do Remo ganha novo sistema de iluminaçãoO que pensam os pré-candidatos do Remo: vejam as propostasDesde a reinauguração do Estádio Evandro Almeida, ocorrida em 2019, o Clube do Remo precisou montar uma estrutura metálica para receber torcedores na área dá acesso pela travessa das Mercês, por conta da demolição de todo o setor, no ano de 2014. No entanto, conforme apurado pelo DOL, toda a parte que atualmente ficam os camarotes e cadeiras, estão em processo de desmanche. Em contato com o presidente Fábio Bentes, ele confirma que toda a estrutura será utilizada no Círio de Nossa Senhora de Nazaré. "Como todos os anos, e por não ter jogos no momento, (o material) será deslocado para uso no Círio", disse o mandatário azulino que não sabe se a estrutura irá retornar ao Evandro Almeida. "Vai depender do próximo presidente, se irá aproveitar ou não". Por fim, ele também revela detalhes sobre a parceria entre o clube azulino com a empresa fornecedora da estrutura metálica. "Sim, parceria. O acordo é meio a meio em cima da receita e só ganha quando tem jogos", concluiu. Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Clube do Remo (@clubedoremo)

×